Sistemas de Resposta à Demanda e Controle de Cargas

Resposta à Demanda

Como a regulação sobre esse assunto é bastante recente, há ainda poucos projetos de Resposta à Demanda em operação no Brasil, e a maioria deles em regime esperimental.


A Engecomp acumulou experiência com sistemas de Resposta à Demanda por conta da vivência de seus profissionais no desenvolvimento e operação de sistemas nos Estados Unidos.


No que consiste um programa de Resposta à Demanda:

  1. Contratação da disponibilidade de um volume de carga. Ao aderir ao programa, um consumidor é pago por colocar este volume de energia à disposição para ser desligado em caso de necessidade. Se efetivamente a carga for desligada, o consumidor recebe um valor adicional pela energia que deixou de consumir e "forneceu virtualmente para a rede".
  2. Monitoramento da carga do consumidor. Por ocasião de cada evento de Resposta à Demanda, o sistema precisa calcular o volume de energia que deixou de ser consumido, pela diferença do consumo esperado (linha de base) e do consumo medido.
  3. Desligamento automático das cargas. O sistema pode atuar automáticamente desligando (ou modulando) as cargas pré-selecionadas para o evento, e retornando-as à operação normal imediatamente após o término.
  4. Conciliação do balanço energético em cada evento. O sistema então calcula os valores a pagar para quem deixou de usar energia.

Se você se interessou pelo tema, saiba que a Engecomp pode te ajudar.


Sistemas de Resposta à Demanda ainda estão engatinhando no Brasil, mas eles vem pra ficar

Sistemas de Resposta à Demanda ainda estão engatinhando no Brasil, mas eles vem pra ficar